quinta-feira, janeiro 11, 2007

E continuando

na onda da TV aqui vai um texto que um pai/mãe da sala da AJ decidiu afixar no mural das novidades para partilhar com os restantes pais.


A professora Ana Maria pediu aos alunos que fizessem uma redacção e nessa redacção o que eles gostavam que Deus fizesse por eles. À noite, ao corrigir as redacções, ela deparou-se com uma que a deixou muito emocionada.O marido, ao entrar em casa viu-a a chorar e pergunta: - O que aconteceu?!? Ela respondeu: - Lê! Era a redacção de um menino:
" Senhor, esta noite peço-Te algo especial: transforma-me numa televisão! Quero ocupar o lugar dela... viver como vive a da minha casa.
Ter um lugar especial só pra mim, e ser capaz de reunir toda a minha família em meu redor... Ser levado a sério quando falo... Ser o centro das atenções e ser ouvido sem interrupções e sem perguntas. Quero receber o mesmo cuidado especial que ela recebe quando não funciona porque está avariada. Ter a companhia do meu pai quando chega a casa, mesmo que esteja cansado. Que a minha mãe me procure quando estiver sozinha e aborrecida, em vez de me ignorar.
E ainda, que os meus irmãos "briguem" para estar comigo.
Quero sentir que, de vez em quando, a minha família deixa tudo para passar alguns momentos comigo. E, por fim, que eu possa divertir todos. Senhor, não te peço muito... só quero viver o que vive qualquer televisor!"
Naquele momento, o marido de Ana Maria disse: - Meu Deus, coitado desse menino. Que descuido o desses pais ! E ela responde-lhe: - Essa redacção é do nosso filho...

Hoje deixarei na escola a revista Pais & Filhos do mês passado para fotocopiarem o artigos com alguns testtemunhos de famílias que deixaram de dar importância à tv e mostram boas alternativas à TV.

2 comentários:

Isabel Pinheiro disse...

Meu Deus... como é que é possível que os pais dêem mais importância a tudo o resto em detrimento de um filho!!!

Enfim...

Bjs

Obrigada pelo apoio

ISa

Sandra disse...

Pois...
A televisão rouba muito tempo a muita gente e muitas vezes de uma forma incosnciente.
Há que mudar isso.
É um bom texto esse.