quarta-feira, dezembro 28, 2005

Ontem

estava quase a dormir na espreguiçadeira, decidi levá-la para a cama para ficar mais direita.
Estive cerca de 20 minutos perto dela e ela nada de fechar os olhos, vim-me embora para ver se assim adormecia melhor.
Começou a protestar.
Voltei, deite-me ao lado dela, dei-lhe a mãe. Passados 2 minutos estava a dormir.
Por imitação, por cansaço ou simplesmente coincidência.

terça-feira, dezembro 27, 2005

Hoje

dormi até às 11h15m. Adormeci perto das 00h e só acordei à dita hora. A mãe G. e o Pai MR. tem uma sorte descomunal.

Esta

semana comecei a querer desapoiar as costas dos colos e da cadeira.

domingo, dezembro 25, 2005

Desde

a semana passada, que o intervalo de 3 horas entre as mamadas deixou de ser rigoroso. Ou seja, quando estou a dormir a minha mãe não me acorda para eu mamar, pois pensa que eu não devo ter fome e já estou mais crescida para que o ritual tenha que ser cumprido sem falhas ;).

o primeiro

Natal foi passado em casa dos avós paternos, é assim de 2 em 2 anos.
Este ano a reunião foi feita lá em casa e não na casa da bisavó A., devido à minha pessoa, pois estava muito frio para eu ir para a rua.
Recebi muitos presentes, muitas coisas giras e muita roupinha gira, que me vai dar um jeitão.
Muito obrigada a todos.
Eu portei-me muito bem, mas para o ano é que vou começar a achar graça, este ano estive na habitual posição de observação.
Esperem para o ano para eu rasgar os papéis todos.

Agora

tenho uma chucha a sério, para bebés a partir do quatro meses, eu sei que ainda não tenho, mas a outra já era muito pequenita ;).
A adaptação foi excelente, foi só começar o dia com a chucha nova, não houve refílices. A forma também é a mesma e talvez ainda seja muito pequena para notar a diferença.

sábado, dezembro 24, 2005

Tenho

adormecido sozinha na minha cama sem refilar.
O que nos deixa muito contentes. Só é pena não teres o teu quarto pronto, pois parece-nos que seria uma boa altura para passares para lá.

Quando

começo a estar farta de estar na espreguiçadeira começo a fazer força com os meus pés e lá vou eu, qualquer dia fico sentada no chão.
Não porque nunca estou lá sem vigilância e porque os meus pais vão começar a colocar-me o cinto de segurança.

Ontem

à noite estava a mamar lindamente quando fiz um belo cócó, o que é normal.
Depois enquanto mudava a fralda fartei-me de bolsar, e em grandes quantidades, a mãe G. pensa mesmo que bolsei todo o leite que bebi.
Numa das vezes engasguei-me mesmo a sério.
Os pais começaram a ficar preocupados, mas apesar disso mantive-me sempre bem disposta.
Sujei várias peças de roupa durante esta muda, pois parecia que o leite não parava de sair.
Felizmente parou e eu continuei muito bem disposta.
Os pais puseram-me na minha cama e eu continuei bem disposta até adormecer e dormi muito bem.
Foi um pequeno grande susto.

quinta-feira, dezembro 22, 2005

Luz

Luz
ao fim do túnel.
Conseguimos dividir o terreno onde estamos a construir a nossa casa. Ainda não está como queremos, mas havemos de lá chegar!!!
IUPIIIIIIIIIIIIIIII!!!!

Hoje

está muito frio. Grrrrr.

quarta-feira, dezembro 21, 2005

Acabou-se

a fita-cola e ainda faltam embrulhar alguns presentes...
Filas para embrulhar presentes, já bastam as filas para pagar.
Algumas já levaram agrafos...Amanhã temos que ir comprar mais fita-cola.

Penso

que já acabámos as compras de Natal, espero não estar enganada...

O jantar

de Natal em casa de uns amigos, onde se reuniram vários amigos, correu lindamente.
Soube tão bem...
Devia haver mais Natais durante o ano para fazermos estes jantares.
Infelizmente o natal esta cada vez mais transformado em consumismo puro...
Restam-nos estes belos momentos.

Xixi

no vestidor,
banho,
xixi no vestidor,
banho de novo...

Para oferecer...



Originally uploaded by Gimelo.
Acabamento made by mãe G. ;)

...



Oferecidas



Made by avó M.

domingo, dezembro 18, 2005

Hoje

o meu pai foi para a tirada (recolha de fundos para a festa da terra vizinha), tocar gaita de foles e eu fui fazer broas com a minha mãe e com a minha avó, e ainda a ti L., a tia M. e a D. A. e a I..
Eu gostei do dia, vamos ver se o pai gostou do dele...

sábado, dezembro 17, 2005

A nossa

arvore de Natal já está operacional.
Este ano optámos por um pinheiro vivo que tínhamos na nossa varanda e como é muito pequenino decidimos só por luzes brancas.
E é aqui que começa a saga.
Primeiro não nos lembrávamos que já tínhamos um conjunto de luzes brancas e tentámos comprar, felizmente só encontrámos conjuntos com muitas luzes e ainda não tínhamos comprado.
No dia em que desencaixotámos as restantes decorações natalícias descobrimos um conjunto de luzes brancas!
Fomos experimentar e funcionavam, mas apenas fixas... Reparámos que 3 luzes estavam fundidas, foi depois de trocarmos as luzes estragadas por suplentes, mas coloridas, que tudo deixou de funcionar....
Mais tarde apareceram as suplentes brancas, continuava sem funcionar.
Questão: Quais são as boas e as fundidas?
Resposta: ....
Solução: o pai MR. retirou todas as lâmpadas e começou a colocar todas de novo.
Resultado: voltaram a ligar, fixas, apenas uma estava apagada. Depois de algumas mexidas na lâmpada, esta voltou a funcionar e agora até já piscam e tudo!

Na quinta-feira

Fomos conhecer a sala branca!!!
Sabem o que é a sala branca? É a sala onde eu vou ficar quando a minha mãe e o meu pai tiverem que ir trabalhar os dois.
Por cima da minha caminha vou ter uma cegonha enorme, que vai ter o meu nome e a minha fotografia!
Estavam lá duas amigas, os outros tinham faltado naquele dia. Uma chama-se E. e a outra já não nos lembramos...
Há também uma M. e um S..
Ainda bem que eu sou AJ. e não M., parece que toda a gente tem esse nome agora...
Depois fomos conhecer as outras salas e os espaços comuns.
A educadora é a P. e uma das auxiliares é a B., a outra ainda não sabemos, pois não estava lá.

Estrangeirismos

ou talvez não ;)
Alguém dizia “O meu P. gosta é de ir ao “Frankfort”“.
Lindo!!!
Quem adivinha o que é?

12.12.2005

Na espreguiçadeira começou a fazer força nos pés e a levantar o corpo todo, isto quando está zangada. É uma das formas de protestar, para além dos sons. Os sons de contentamento e de rabugice são bem diferentes.

Recorremos

a vários programas para tentar recuperar as fotos, e nada.
Até que com o PC Inspector smart recovery conseguimos recuperar praticamente tudo, ficou a faltar uma foto e um vídeo. Iupi!!!

Depois

copiarmos as fotos para o pc, de as vermos, de acharmos que tinham algumas porreiras, decidimos apagá-las da máquina fotográfica, como sempre fazemos, ou faço.
Algo correu mal e perdemos todas as fotos.
Ficámos muito chateados com o sucedido.

quinta-feira, dezembro 15, 2005

Estivemos




Originally uploaded by Gimelo.
aqui.

Ficámos

aqui:


Quinta de Santa Teresinha

recomendamos, muito bom.

No casamento

do J. e da I. portei-me muito bem.
Primeiro obrigaram-me a levantar muito cedo, tomar banho logo cedinho, tirar fotos e só depois é que me dão comer....
No carro adormeci praticamente logo à saída de casa e dormi até lá acima, quando cheguei lá voltei a papar.
A seguir foi a vez de ir tirar fotos com os noivos, mas só com o meu pai, pois a mãe estava a arrumar as minhas tralhas todas.
Depois até os noivos chegarem à igreja dormi mais um bocadinho.
O pai MR. tocou a marcha nupcial em gaita de foles na entrada dos noivos.
Durante a cerimónia estive uns bocadinhos lá dentro e outros vim cá fora passear com o meu pai.
Como não sabíamos bem como era o programa fui papar novamente, antes que decidissem ir para a quinta na hora da minha paparoca.
Mas não, depois da igreja os noivos foram à tasca beber um traçadinho, parece fazer parte da tradição de lá, ou talvez não...
Seguimos para a quinta, onde aproveitei para dormir mais um pouco.
Quando chegámos lá, foi a vez dos pais paparem mais qualquer coisa, pois o pequeno almoço em casa dos pais da noiva já tinha ido há muito.
Tirámos a foto da praxe com os noivos.
Depois o pai foi por as nossas coisas no quarto para à noite já estar tudo arranjado.
A ideia de dormirmos na quita foi excelente, muito obrigada I. e J..
Durante o almoço não consegui dormir quase nada, pois eles eram muito barulhentos ;), por isso a mãe G. foi mais cedo comigo para o quarto e depois de papar estive a brincar com a almofada e com a minha galinha e depois vim um bocadinho de televisão.
E depois a mãe G. adormeceu-me e eu dormi muito bem toda a noite.

segunda-feira, dezembro 12, 2005

11.12.2005

Palrar, palrar e palrar.
Ontem palrei mais do que tudo somado desde que comecei, e mais ainda.
Parece que agora já sei o que é palrar.
Hoje também já me fartei de palrar.
Claro que os meus pais estão hiperbabados, apesar de já ser altura.
Como de costume ;)

sexta-feira, dezembro 09, 2005

Ainda

bem que a Pediatra responde rápido aos e-mails, senão o leite que comprámos não era o recomendado pela médica...Os nomes pelo telemóvel parecem todos iguais.
Felizmente até hoje ainda não foi preciso recorrermos ao leite da lata.

Poema à mãe

No mais fundo de ti
Eu sei que te traí, mãe.

Tudo porque já não sou
O menino adormecido
No fundo dos teus olhos.

Tudo porque ignoras
Que há leitos onde o frio não se demora
E noites rumorosas de águas matinais.

Por isso, às vezes, as palavras que te digo
São duras, mãe,
E o nosso amor é infeliz.

Tudo porque perdi as rosas brancas
Que apertava junto ao coração
No retrato da moldura.

Se soubesses como ainda amo as rosas,
Talvez não enchesses as horas de pesadelos.

Mas tu esqueceste muita coisa;
Esqueceste que as minhas pernas cresceram,
Que todo o meu corpo cresceu,
E até o meu coração
Ficou enorme, mãe!

Olha - queres ouvir-me? -
Às vezes ainda sou o menino
Que adormeceu nos teus olhos;

Ainda aperto contra o coração
Rosas tão brancas
Como as que tens na moldura;

Ainda oiço a tua voz:
Era uma vez uma princesa
No meio do laranjal...

Mas - tu sabes - a noite é enorme,
E todo o meu corpo cresceu.
Eu saí da moldura,
Dei às aves os meus olhos a beber.

Não me esqueci de nada, mãe.
Guardo a tua voz dentro de mim.
E deixo as rosas.

Boa noite. Eu vou com as aves.

Eugénio de Andrade, Os Amantes sem Dinheiro

E este o pai MR. ouviu também no casamento do J. e da I., recitado pelo J. à sua mãe.
O pai MR. ficou deliciado.

Conta-me outra vez,

é tão bonita
que não me canso nunca de a ouvir.
Repete-me de novo, o par do conto
foi feliz até à morte,
ela não foi infiel, ele nem
se lembrou de a enganar.
E não te esqueças,
apesar do tempo e dos problemas,
continuavam a beijar-se cada noite.
Conta-me mil vezes, por favor:
é a história mais linda que conheço.

Amália Bautista (1962)

Lido no casamento do J. e da I., lindo!

terça-feira, dezembro 06, 2005

Para

que os pais não se voltem a enganar, aqui fica a letra da música do coelhinho.

Eu sou um coelhinho

De olhos vermelhos,
De pêlo branquinho,
Dou saltos bem altos,
Eu sou um coelhinho.

Comi uma cenoura
Com casca e tudo!
Ai que ela era tão grande
Que eu fiquei barrigudo!

Dou saltos p’ra frente,
Dou saltos p’ra trás,
Eu sou um coelhinho
Que de tudo é capaz.

Fornecem-se os acordes, a pedido ;).

O leite

da mãe G. é cada vez menos, e eu protesto muito, quando a quantidade que consigo tirar é inferior à desejada.
Infelizmente a lata de leite para fazer o complemento já está encomendada.
Apesar de a quantidade não ser a desejada, ainda é suficiente para ficar satisfeita e como tal aguentar os intervalos de 3 horas durante o dia e aguentar a noite toda.
Vamos insistindo nas mamadas, conforme conselho da pediatra, para ver se a produção de leite volta a aumentar...
Nos próximos dias vamos tentar dar novidades e saber quando é que tivemos que recorrer ao suplemento.

Este

post estava esquecido...
O nome da nossa filhota é igual ao de uma amiga minha de infância.
O meu nome e o nome da mãe dela também é igual.
O contacto com essa amiga é quase inexistente...
Motivo: A vida dá muitas voltas.
Depois de a AJ. nascer, constatámos que para além de partilhar o nome, o mesmo nome da mãe, partilha também o mesmo dia de nascimento. Claro que o ano é diferente ;).
A outra AJ. teve a infelicidade de perder a mãe muito cedo, esperemos que este não seja também um factor comum, não por mim, mas por ela.
Sei, infelizmente por experiência própria, que a perda de um dos pais, torna as coisas muito diferentes, principalmente nos piores momentos, mas também nos momentos de maior alegria, em que a falta dessa pessoa é sempre sentida.
Um beijinho para ti, onde quer que estejas.

Apesar

de ainda não palrar muito estou cada vez mais risonha, e agora até sai com som, de vez em quando só, não pode ser sempre.

Os primos

emprestaram-nos um ginásio musical, só que a parte do musical já era....

take II

Pior ainda é quando não há agua para tomar banho ou é amarela.

Pensamento

do dia (outro dia, não de hoje.).
Nem sempre é possível escrever logo...
Aqui vai:
Coco depois do banho é sempre bom.

Este

fim-de-semana reunimo-nos com as pessoas com quem costumamos ir para a neve. Foi bom estarmos todos juntos e planear a próxima ida. Só é pena, nós esta temporada possivelmente não irmos, pois tu ainda és muito pequenina e como não podemos usufruir a 100%.
A data e local escolhido é um pouco mais caro, e com a construção da casa também nos leva a por um travão.
Fica para o ano.

Quando

fiz 3 meses a mãe G. tirou das gavetas alguns brinquedos próprios para esta idade. A galinha parece ser o que eu gosto mais.

segunda-feira, dezembro 05, 2005

As bolinhas

de saliva são agora uma constante, pelo que tenho que andar muitas vezes de babete...

Na quarta

fui levar a primeira dose da vacina da meningite, felizmente desta vez só levei uma pica, mas chorei muito, porque estava a dormir e as enfermeiras obrigaram-me a acordar para me fazerem mal. Depois fui papar, para me acalmar e também porque já tinha fome e passado pouco tempo estava novamente a dormir.
Quando já se passaram muitos dias já se torna difícil fazer os relatos....

sábado, dezembro 03, 2005

No nabiças

As nabiças são uma hortaliça muito severa para o meu leitinho, dão-me muitas cólicas e muito mau sabor também.
Depois da minha mãe comer sopa com nabiças, passei o dia a não querer comer, ou seja beber o meu leitinho, e enquanto o bebia ficava completamente cheia de cólicas.
Por isso, não há mais nabiças até eu parar de mamar.

As botas

novas criaram algum embaraço à mãe G. que quando chegou a casa e as foi experimentar, em mim, claro ;).
Por cima do babygrow não serviam, só com a meia também não. A mãe G. estava a achar aquilo muito estranho...
Foi buscar umas sandálias, que a X. deu, e que apesar de serem muito giras eu nunca as calcei porque eram muito grandes, e continuam grandes apesar de serem só um número acima.
Então a mãe G. decidiu experimentar a outra bota, não fossem as botas terem direito e esquerdo, apesar de não parecerem...
Já perceberam o que aconteceu?
Pois é, as botas tinham um bocado de papel lá dentro que não se via...trol...
As botas servem na perfeição.

quinta-feira, dezembro 01, 2005

Esta semana

fui com a mãe G. e com a prima J.. De manhã fomos comprar a prenda da prima J., antes dela chegar, para ele não ver o que era ;). Comprámos também alguns acessórios e básicos para mim. Comprámos uns sapatinhos para eu levar ao casório do J. e da I., que proporcionaram algumas peripécias, que a mãe G. vai relatar mais à frente.
Depois de eu comer, foi a vez da mãe G. e a prima J. chegou nessa altura.
Com a prima J. fomos comprar mais algumas prendas, mas o tempo passa sem darmos por isso,com tal ainda ficaram muitas prendas por comprar.
As dos homens são sempre mais difíceis...

Os preparativos

para o jantar de natal em casa da X. já começaram. A escolha do dia, parece ser sempre o mais complicado. Existem agora duas alternativas, uma mais fiável que outra, mas ainda falta conhecermos as disponibilidades do casal R..
Seguidamente vamos avançar com a distribuição de tarefas, pois a X. e o M. este ano tem um carga maior em cima, desde que o J. nasceu.
E será um prazer para todos contribuirmos com alguma coisa.
Nós tentaremos contribuir o mais possível, mas também estamos sempre dependentes do que a AJ. deixar fazer, porque a maioria das coisas não podem ser feitas com muita antecedência, o que nos dificulta.
Seja qual for o dia, e seja qual for a ementa, vai correr lindamente, pois o mais importante é ser o convívio. Este ainda promete ser ainda mais animado, pois já existem mais dois rebentos, a AJ. e o J., e estão prometidos alguns nenucos também. Lol.

segunda-feira, novembro 28, 2005

Sempre a tirarem-me fotos



Originally uploaded by Gimelo.
que chatos! Deixem-me dormir em paz.

O meu

dia-a-dia em casa é muito calmo.
Acordo bem disposta, mas rabujenta pelo meio, pois estou cheia de fome e normalmente com cócó, que faço um pouco antes de acordar e o que me faz dar muitas voltas na cama.
Depois normalmente fico um bocadinho acordada, depois de comer, claro, cerca de 1 hora.
Aqui costumo ver e ouvir o mobile que está na minha cama. Eu gosto muito de seguir os legumes.
E depois volto a dormir.
Meia-hora antes da hora de comer a mãe G. costuma-me acordar para tomar banhinho.
Eu gosto muito de tomar banho, não gosto muito é de me vestir, principalmente na parte final, pois já começo a ficar com fome.
Durante o resto do dia costumo ficar acordada mais ou menos uma hora depois de comer e depois durmo mais uma sesta.
Estas sestas costumam ser feitas na espreguiçadeira e perto do PC, onde a mãe G. passa muito tempo, a trabalhar e a navegar também.
Depois do pai MR. chegar e quando estou acordada, normalmente ando um bom bocado ao colo dele.
Quando os meus pais estão a jantar eu costumo estar acordada a ver os peixinhos do aquário, a guitarra do meu pai, ou outro objecto que desperte a minha atenção.
Depois vou papar na cama dos meus pais e fico lá com eles um bocadinho a ver televisão.
Quando adormeço vou para a minha caminha e depois de algumas caídas da chucha, durmo até à manhã seguinte.

Ideias para o Natal

e o contributo a uma causa.

"Olá,
Venho falar-vos de um livro de receitas para crianças, que acabou de ser editado através da editora Sopa de Letras, pela Acreditar – Associação de Pais e Amigos das Crianças com Cancro. Vai estar à venda directamente na Acreditar (R. Prof.Lima Basto nº 73 em frente do IPO) ou nas livrarias já a partir da próxima semana (21 de Novembro). Não deixem de o comprar para oferecer aos vossos filhos, sobrinhos, afilhados, primos, e amigos....e ao mesmo tempo ajudarem uma boa causa.

Se puderem, divulguem a familiares e amigos.
Obrigada a todos
....

Nota final:
Foi um desafio, um privilégio e um prazer participar neste projecto desde o inicio.
Agora é a vossa vez de ajudar as crianças que precisam da ACREDITAR ou de Acreditar num futuro, no futuro que não consegui dar à minha filha.

"está tudo óptimo" respondia frequentemente a minha filha Joana quando lhe telefonavam
"está tudo óptimo" é uma historia inventada sobre a Joana e a Madalena no mundo da culinária.
"está tudo óptimo" é uma pequena homenagem a todas as Joanas e Madalenas que já não estão fisicamente no nosso dia-a-dia. ""

O pai MR. anda fascinado com esta música

As Regras Da Sensatez


by Carlos Tê / Rui Veloso

Nunca voltes ao lugar
Onde já foste feliz
Por muito que o coração diga
Não faças o que ele diz

Nunca mais voltes à casa
Onde ardeste de paixão
Só encontrarás erva rasa
Por entre as lajes do chão

Nada do que por lá vires
Será como no passado
Não queiras reacender
Um lume já apagado

São as regras da sensatez
Vais sair a dizer que desta é de vez

Por grande a tentação
Que te crie a saudade
Não mates a recordação
Que lembra a felicidade

Nunca voltes ao lugar
Onde o arco-íris se pôs
Só encontrarás a cinza
Que dá na garganta nós

São as regras da sensatez
Vais sair a dizer que desta é de vez


para além das da gaite, né!!!

quinta-feira, novembro 24, 2005

Saímos

de casa para fazermos alguns recados. A mãe G. gosta de sair de casa quando a T. anda cá a fazer a limpeza, pois assim ela pode limpar as coisas mais à vontade.
Depois de estarmos despachadinhas lá fomos nós.
Depois dos recados feitos fomos até à da avó M., mas ela não estava lá, então fomos ver se ela estava à da tia M.. E lá estava ela, tinha ido fazer mais um bocadinho de tapete para a M..
Almoçámos lá com elas e depois fomos buscar o esquema da lareira ao atelier do arquitecto. Vamos ver se o pai gosta.
Depois voltámos lá para trazer a avó M. para casa e ainda trouxemos uns legumes bem naturais, que delícia.
Que bom que é viver no campo.

quarta-feira, novembro 23, 2005

Hoje

fui dar mais um passeio a pé. O tempo estava bom e há que aproveitar.
Pelo caminho encontrei a ti L. que andava a cuidar do jardim, depois seguimos viagem e fomos visitar o primo D. e o tio P., que era quem estava em casa.
O primo F. também está em casa, mas está com varicela, como tal não o podemos ir visitar, vamos lá a ver se ele não me pegou a varicela no sábado.
Quando cheguei à casa do tio P. já ia com muito sono, pelo que acabei por adormecer lá. Claro que ainda chorei um bocadinho, até o primo D. teve que me por a chucha, pois a mãe G. tinha ido à cave buscar o jantar.
No regresso encontrámos o primo Z., o problema é que foi num cruzamento, e claro está que ele parou o carro no meio do cruzamento e gerou a confusão no transito. Mas como ele costuma dizer, “Estás aí a apitar porquê? Estás uma hora na fila da ponte e não dizes nada.”. lol.

As minhas

mãos também servem para olhar para elas, e ver que elas mexem, mas as mãos da mãe G. também são muito divertidas, pois mexem-se muito.

As Mãos

e cara estão cada vez mais perto. Ora são as mãos junto à chucha para ela não cair, inconscientemente, ainda, ora para coçar o nariz, o ainda para esfregar os olhos!!!

terça-feira, novembro 22, 2005

Na segunda

a mãe G. teve que ir duas vezes à obra, na primeira para definir com o canalizador a disposição nos wc’s e na cozinha, da segunda com um senhor que vende soluções de aquecimento central.
De manhã estava vento e chuva e na segunda já era quase noite.
De manhã fiquei com a avó M. e portei-me muito bem, depois de chorar um bocadinho, a avó foi ver televisão comigo e como eu gosto muito acabei por adormecer. Quando a mãe G. chegou estava eu a dormir lindamente.
À tarde, fiquei com a tia E. e com o tio P., pois a avó M. tinha que ir buscar o primo F. à escola. Voltei a portar-me muito bem, claro que fiz uma birrinha, mas depois de a tia E. me adormecer, dormi o tempo todo.

O dia

de Sábado foi realmente muito animado e bem preenchido, para terminar fomos visitar o G. e a C.. Para a C. foi uma surpresa, pois ela esteve quase todo o dia retida no aeroporto de M. e só quando chegou a casa é soube que tinha visitas. Surpresa!
No regresso a casa a AJ chorou uma boa parte da viagem, pois já estava cansada, tinha sido um dia muito longo para ela. Quando chegou a casa fez mais uma refeição e dormiu lindamente até ao dia seguinte.
A mãe G. foi a primeira a acordar, era 9h45m da manhã, nem queria acreditar. Passado pouco tempo a AJ e o pai MR. acordaram também.

Depois

do almoço de família fomos assistir ao concerto do pai MR..
Eu praticamente não ouvi nada, pois a mãe G. acondicionou-me os ouvidos o melhor que pode e eu fartei-me de dormir e pelo meio ainda lanchei.
Como dormi a maior parte do tempo a mãe G. consegui gravar o concerto, mas com algumas limitações, pois eu estava a dormir ao seu colo. Vamos ver como saiu...

No sábado

reuniu-se mais uma vez a maioria dos descendentes da avó J.. Existem actualmente 5 gerações de descendentes, a AJ como é natural faz parte da mais recente, dos “quadrinetos”. A tia I. é a mais velha e a AJ. é actualmente o membro mais novo.
Só foi pena estarmos tão apertadinhos e termos que sair mais cedo, pois o pai MR. tinha actuação logo a seguir.

Descobri

que quando não quero ir passear, posso sempre fazer uma birrinha, esticando-me toda, assim tem mais dificuldade em colocar-me lá dentro. Hehehehe.

quinta-feira, novembro 17, 2005

Ontem

fui dar o meu primeiro passeio a pé, pois preciso de fazer exercício. Claro que quem empurra o carrinho é a mãe G., mas isso não interessa nada.
Andei a passear quase uma hora, fui até à papelaria, pois a mãe G. tinha que colocar uma carta no marco do correio, que é lá.
Pelo caminho encontrei o G. que também andava a fazer uma caminhada, de carrinho.
O passeio foi muito cansativo, pois no regresso dormi quase sempre, estava mesmo cansada.

quarta-feira, novembro 16, 2005

Na segunda

fomos à pediatra. Ela examinou-me e disse que estava tudo bem comigo, relativamente ao meu peso, disse também que estava bom desde que não descesse daquele nível, percentil 25. Agora só tenho que começar a palrar mais e começar a brincar com as minhas mãos, pois por enquanto ainda só olho para elas e muito raramente.
Entretanto vou ter que levar mais umas vacinas, grrrrrrrrrrrr, e volto lá aos 4 meses para conhecer a minha dieta, pois vou começar a deixar de beber só leitinho.

terça-feira, novembro 15, 2005

A gripe

das aves já provocou algumas alterações nos nossos hábitos.
O hábito de poder comer a massa dos bolos em crua foi uma delas....E eu que gosto tanto, mais do que dos bolos já cozidos...
Esperemos que passe depressa, não só por causa dos bolos, mas pelo que esta gripe pode significar.

sexta-feira, novembro 11, 2005

Tentámos

escolher um nome que gostássemos claro, mas também que fosse fácil de dizer, para que não houvessem diminutivos.
No outro dia alguém perguntou o nome dela, e eu disse e de imediato a pessoa repetiu...Repetiu, mas sem o “i”...

São Martinho

e as castanhas fazem-lhe tantas cólicas...Este ano vou ter que ser mais comedida e ficar-me por uma ou duas castanhas.

Depois

de serem considerados uma das maravilhas do mundo para a mãe G., os bicos de silicone foram agora postos de lado.
Tal aconteceu por mero acaso, mas os resultados foram excelentes:
- A AJ. parece sugar mais leite;
- O início já não é doloroso;
Vamos ver se a balança confirma o resultado na AJ..
Como já havíamos referido a AJ. está a cada dia que passa mais calma, mas desde que deixámos de usar os bicos notámos ainda mais a diferença e para melhor.

quinta-feira, novembro 10, 2005

A cadeira

para comer à mesa já chegou.
Veio um bocadinho adiantada, mas não faz mal, assim posso ir treinando ;).
Obrigada tios e primos (e m., lol).

Descobri

agora que o flickr só permite 200 fotos...Descobri que algumas fotos já não estão lá...Não achei muita piada.

A última

ecografia já está em DVD.
Mais uma vez, obrigada M.. Principalmente agora que tens duas coisas lindas com que te entreter.

O pote

está finalmente cheio de rebuçados!!!
S. finalmente deixou de ter massa e afins, agora está como querias :).

Finalmente

terminou o drama semanal de verificar o peso.
Depois de pensarmos que nas últimas duas semanas tinha engordado menos do que era suposto, ficámos a saber que a partir dos dois meses o aumento semanal é menor, pelo que não há razão para alarmes.
E terminaram os controles semanais!!!!

quarta-feira, novembro 09, 2005

O usual

“vou já fazer isso, é só acabar isto”, hoje deu mau resultado. Chegou a hora de mamar e os bicos estavam todos sujos...E como estavas com muita fome a mãe G. deu-te mesmo sem bico.
Parece que gostaste mais, pois fartaste-te de dormir a seguir. Vamos fazer a experiência na próxima mamada e vamos ver se gostas mais sem os bicos artificiais.

A notícia

de uma doença muito comum nos nossos dias num familiar nosso, foi ontem recebida por nós. Ficámos obviamente todos muito tristes. Esperamos que tudo corra bem e que ele seja mais forte do que ela.

Gggrrruuummm,

gggrrruuummm e gggrrruuummm.
Foram estes os sons que ontem à noite emiti para os meus pais, que ficaram completamente derretidos.
E não foi só três vezes :), foram muitas mais.

segunda-feira, novembro 07, 2005

O dia

de ontem foi muito preenchido, depois de descansar de manhã fui à feira com os meus pais e com a minha avó M. e lá encontrei muitas pessoas conhecidas.
Depois vim à casa da M. onde aproveitei para lanchar ;). A M. emprestou um “xaile” da C. para a avó M. fazer um igual à mãe G.. Antes de ir para casa ainda fui espreitar a minha casa nova para ver como estava.
À noite estiveram cá o G. e a C. a jantar connosco. Depois de uma birra, porque estava com algumas cólicas fiquei bem disposta, pelo que, acho que eles me acharam simpática.

A C.

finalmente consegui vir conhecer-me. Ao início ela achava que eu não simpatizava com ela, mas um pouco antes de ela ir embora estive no colo dela e fui muito simpática para ela. Penso que ela ficou toda derretida comigo ;).

Ontem

tomei o meu primeiro banho na banheira, pois já estou a ficar muito grande para a bacia.

sexta-feira, novembro 04, 2005

Hoje é sábado?

Pergunta o pai MR. às 7h.
Não, é sexta, tens que ir trabalhar. Respondeu a mãe G.

quinta-feira, novembro 03, 2005

Muitos

parabéns à I., que ganhou um mano, e aos pais babados, X. e M., também.
Esperamos que estejam todos bem e dentro em breve iremos visitar-vos.
Muitos parabéns.
X. agora o pós parto vai ser um pouco diferente, espero que seja melhor que o da I..

quarta-feira, novembro 02, 2005

Durante

o fds choveu muito e eu tive que ficar em casa todo o fds... Não bastava a chuva, ainda faltou a luz durante aproximadamente 1 hora. Estava a mudar a fralda quando as luzes se apagaram, e para espanto da minha mãe não chorei, nem fiquei assustado, isto porque nunca tinha ficado completamente no escuro, existe sempre uma luz de presença ligada cá em casa.
Acabei de mudar a fralda, papei e dormir como se houvesse luz.
M. faltar a luz às 22h é bem pior do que às 6h. Lol.

Na noite

a seguir à chegada dos avós paternos dormi muito mal, adormeci muito tarde e de cada vez que a minha mãe me punha na minha cama eu acordava e começava a chorar, e muito. A mãe G. ficou um bocadinho assustada com a situação, mas felizmente que não voltei a dar uma noite como esta. As seguintes tem sido bem dormidas.

No dia

em que fiz 2 meses fui com a minha mãe e com os meus avós paternos passear. Fomos até M. ver o palácio. Fartei-me de dormir durante a visita, mas ainda estive uns bocadinhos acordados a ouvir a história.

Conversa

com o S..
S.: M. encomendaste essa bebé?
Mãe G.: Sim, encomendei.
S: M. encomendaste sozinha?
Mãe G.: Não, encomendei eu e o MR..

sexta-feira, outubro 28, 2005

O xixi

da praxe há algum tempo que não entrava em acção. Foi em casa da D. L. o último.

Agora

que os sonos tem sido maiores, tem dado para ir pondo as coisas em dia. Hoje a mãe G. até conseguiu fazer uma sobremesa, claro que escolheu uma simples ;), assou batatas doces e quem sabe se não consegue ainda fazer outra sobremesa.

As moscas

são mesmo chatas!!! Grrrrr.

Depois

da molha de ontem a mãe G. ficou um pouco adoentada. Febre, dor de cabeça e o corpo um pouco dorido, mas hoje já está melhor. Ontem foi o pai MR. quem teve que tratar sempre de ti, pois a mãe G. não conseguia mesmo, só te dava a paparoca e com algum custo. Ainda bem que já está a passar.

Não

bastava o engano na saída da auto-estrada, quando fomos visitar a D. L. enganámo-nos novamente, e não foi só para lá, foi também para cá. Somos mesmo distraídos.
Para lá vimos o sítio onde tínhamos que virar e dissemos “também dá para ir por aqui”, mas não pensámos que era por ali a melhor alternativa.
Quando começámos a entrar na E. reparámos que não era também, mas que era mesmo pelo sítio por onde tínhamos passado.
No regresso, conseguimos vir novamente pelo sítio errado, mas desta vez foi por um caminho novo.
A D. L. gostou muito de conhecer a AJ., só foi pena não podermos ficar mais tempo, pois o pai MR. ainda tinha que ir buscar umas peças para o jipe.

quinta-feira, outubro 27, 2005

Tantas

vacinas para um só dia é de mais, quem é que teve esta ideia? 3 mais uma que está fora do plano nacional de vacinação. Resumindo, ou não ;), picas nas duas pernas, pica no braço ainda disponível e umas gotinhas. Choro de dor em cada uma das picas e a enfermeira só dizia “Ela vai chorar”.

Durante

a noite o vento era muito forte, quando nos levantámos também, mas depois começou a acalmar. A avó M. não queria que fossemos, mas tinha que ser, era dia de levar as vacinas Na hora de sair de casa chovia, mas não estava nenhum temporal. Pelo caminho víamos destroços de árvores. Passados uns 3 kms a chuva mudou de intensidade, para bem mais forte, lá fomos calmamente até ao centro de saúde. Quando chegámos chovia torrencialmente e com muito vento. Com a passagem para os bancos de trás, por fora, pois era impensável preparar o cesto da AJ. debaixo daquela chuva e vento, a mãe G. ficou um “bocadinho” molhada. Depois lá fomos nós fazer os cerca de 20 metros até ao centro de saúde.
Estado da AJ.: Seca. Os acessórios para a chuva são de facto excelentes.
Estado da mãe G.: Parecia que tinha mergulhado num tanque.
Todo o centro de saúde olhava, mas a mãe G. fez questão de mostrar que estavas muito bem, sem um pingo te ter caído em cima.
Quando chegámos à zona da saúde infantil percebemos porquê, ao contrário das outras vezes, estava vazio. Apenas estava lá uma mãe, que ainda tinha o seu bebé no carro. A chuva e o vento tinham deixado toda a gente em casa. Tu tinhas sido o primeiro bebé a entrar lá com aquele temporal.
Com a acalmar do tempo começaram a chegar os restantes bebés.
Despachámo-nos muito cedo, mas depois não havia ninguém para dar as vacinas... Depois de algumas voltas lá conseguimos que te dessem as vacinas.

quarta-feira, outubro 26, 2005

A manhã

no centro comercial correu muito bem, fartei-me de dormir e quando estive acordada, estive bem disposta, só na hora da mãe G. ir escolher o almoço é que fiquei um bocadinho chorona, os amigos da mãe e as empregadas do restaurante que estava a tomar conta de mim não sabiam o que me fazer. A mãe G. deixou o tabuleiro na zona das comidas e veio ao pé de mim, falou para mim, pôs-me a chucha e eu acalmei. Durante o almoço fiz um belo presente, até consegui sujar o saco-cama. Não, não, a culpa não foi minha, a fralda é que era pouco absorvente.

Depois

de irmos a um centro comercial onde existiam todas as condições para mudar fraldas, dar de mamar, as mamãs ir ao wc descansadas, deparámo-nos com um centro comercial, mais antigo é certo, mas "prestigiado", onde o fraldário estava com um aspecto muito descuidado, onde os vestidor tinham um aspecto horrível, as barras das paredes parte delas já não existiam, a cadeira para amamentar era o mais desconfortável possível e wc's para mamãs népias. Felizmente fomos visitar a X. e a mãe G. pode ir ao wc descansada. Felizmente que frequentamos com mais frequência o primeiro.

Pela segunda

vez consecutiva, quando vamos a casa do H. e da M. esquecemo-nos de sair na saída correcta da auto-estrada. Depois temos que ir por uma estrada cheia de curvas.
Desta vez até calhou bem, pois vimos umas telhas que gostávamos pelo caminho e fomos lá pedir informações e se tivessemos vindo pelo caminho correcto tinhamos que ter esperado à porta pelo H. pois ele chegou pouco tempo antes de nós.
Vamos ver se para a próxima não nos enganamos, até parece que não sabemos o caminho e que nunca cá viemos.

segunda-feira, outubro 24, 2005

A escola

para onde vou foi mais uma vez alterada, mas desta vez, é definitiva a mudança, pois esta era uma das pretendidas, só que não tinha vagas. A escola em causa fez obras e ampliou o berçário o que permitiu a entrada de mais duas crianças e a AJ. foi uma das seleccionadas.
Para nós esta escola parece-nos muito melhor. Em primeiro lugar, porque relativamente à outra não tínhamos qualquer referência e relativamente a esta todas as referências são boas. Em segundo lugar, nesta escola existe com frequência crianças com problemas, pois é uma Cerci, o que nos parece muito positivo para a formação do carácter da AJ.
Os únicos contras são o horário que é menos alargado e a quantidade de dias que fecha por ano que é maior.

A chucha

é um objecto muito versátil, quando estamos fartos de chuchar de um lado podemos sempre chuchar do outro (diga-se na pega (não, não é das moles)). Só foi pena o momento ter sido muito rápido e a mãe G. não teve tempo de fotografar.

sábado, outubro 22, 2005

No início

da semana fui com a mãe e com a prima J. às compras. A prima J. por incrível que pareça não comprou nada, mas a mãe G. comprou umas coisas muito giras para mim. O que a mãe G. mais gostou foi o gorro. A mãe G. vai-me tentar tirar fotos em breve com ele para podermos mostrar-vos.

Fui

à feira e conheci muita gente que a minha mãe e/ou a minha avó M. conhecem. Só foi pena estar tempo de chuva e como tal estavam poucos feirantes e a minha mãe não pode comprar nada.

O casaco

que a avó M. está a fazer está quase pronto e já a ficar muito giro. Só faltam os desenhos e os botões.
Ontem a mãe G. e a avó M., e tu claro, já foram comprar lã para o próximo casaquinho.

O mobile

já se encontra montado na minha cama, foi o pai MR. que montou. Obrigada papá. E eu até gosto de olhar para os frutos e legumes que se mexem por cima de mim. Contudo o tomate deve ter caído mesmo em cima da minha cara e o meu pai não deu por nada. Sorte que apareceu a mãe G. passado pouco tempo e viu o tomate junto à minha cara. Ainda bem que estes legumes e frutas são fofinhos ;). Esperemos que o tomate tenha ficado bem preso desta vez.

sexta-feira, outubro 21, 2005

A barreira

dos 4 kgs foi ultrapassada. Iupi!!! Esperemos que a balnça não nos tenha enganado outra vez ;).

quinta-feira, outubro 20, 2005

Já chega!



Originally uploaded by Gimelo.

Ontem

passei o dia a dormir, mas hoje já estou mais acordada, pelo que a minha mãe vai “brincar” comigo.

O cobertor

e a almofada durante a noite incomodam-me muito, por isso eu vou-me mexendo, mexendo e foi conseguindo afastar-me deles. No primeiro dia a mãe G. até pensava que tinha sido o pai MR. que tinha tirado.

quarta-feira, outubro 19, 2005

Os primeiros

sons já começam a sair, mas penso que ainda não se pode dizer que já palro. O tempo o dirá.

Ontem

fui buscar a prima J. ao autocarro, pois ela não tinha ligação para casa e já eram 15h30m e ela ainda não tinha almoçado. Vida de estudante é dura.
Depois aproveitei e finalmente fui-me apresentar à enfermeira que deu as aulas de preparação para o parto aos papás.

terça-feira, outubro 18, 2005

Este

acontecimento já algum tempo, mas acho que merece ficar gravado aqui.
Quando fomos almoçar à casa da X., do M. e da I., saímos relativamente cedo de casa e como no dia anterior tínhamos ido jantar a casa da tia E. E não tínhamos utilizado nada da mochila a mãe G. nem validou a mochila, asneira. Pois as fraldas e os toalhetes não foram suficientes, pois estavas sempre a fazer mais um cocó. O pai MR. só não teve que ir ao supermercado porque eles já estão abastecidos para o bebé que está prestes a chegar. As fraldas 1 são mesmo pequeninas, mas em tempos, nada distantes, pareciam enormes. Lol.

Foi

o F. que escolheu. Não um modelito feminino, mas é muito giro. Tão giro que numa passagem pela loja onde foi comprado, a mãe G. achou-o o máximo.
Obrigada F. e M., vou ficar muito janota ;).

sexta-feira, outubro 14, 2005

Cada

vez gosto menos de dormir de dia, pois já gosto de estar acordada, o problema é que depois durante a tarde começo a ficar rabugenta.
Hoje nem na viagem curta que fiz à casa da minha avó M. adormeci, mas agora adormeci na espreguiçadeira com a minha mãe a baloiçar-me. Vamos ver quanto tempo vou dormir. 20 minutos?
Felizmente à noite durmo muito bem.

Dois

“xixizes” no centro de saúde é obra ;)
Primeiro foi na balança, para demonstrar que não gosto de me pesar, sempre com os controles de peso, são uns chatos.
Depois foi no mudador, e este foi bem grande, quase que a minha mãe ficou sem espaço para me vestir.
Desta vez só aumentei 120 g, vamos ver como me porto para a semana, se continuar a aumentar só isto, possivelmente a minha pediatra vai alterar a minha alimentação. Vamos aguardar...

quinta-feira, outubro 13, 2005

Finalmente

adormeceu. Vamos ver se dorme bem à noite. Esperemos que sim. Vamos ver se a forma de adormecer ontem resulta hoje outra vez.

A chuva

parou pouco antes de sairmos de casa e deixou-nos fazer todos os recados sem nos molharmos. Obrigada São Pedro.

quarta-feira, outubro 12, 2005

Vamos

ter que sair de casa hoje, e possivelmente mais do que uma vez. Com chuva, com um “cesto” e numa obra ainda sem parte do telhado não me parece o “programa” mais aliciante, mas quem tem para além de uma bebé, uma obra para gerir, é assim.

Cocó

e xixi fora de casa são a especialidade da AJ. Sempre que sai de casa decide fazer bastantes necessidades fisiológicas e de preferência fora da fralda. Ora é no centro de saúde, ora é na pediatra, ora é na casa de amigos.

terça-feira, outubro 11, 2005

Como

a X. disse rapidamente o sono entrará numa rotina e deixará de ser surpresa. Parece que essa rotina já se estabeleceu.
A birra (do sono, das cólicas, whatever...) dura aproximadamente entre as 19h e as 24h, mas felizmente normalmente tem umas pequenas pausas, mas mesmo pequenas. O jantar fica normalmente comprometido...

segunda-feira, outubro 10, 2005

Finalmente

Veio a chuva, e logo nos dias que eu tinha que sair de casa ;)
Mas não faz mal, porque a minha mãe tapou-me muito bem, e o São Pedro é meu amigo e só na primeira saída é que mandou uns pingos grandes.

sábado, outubro 08, 2005

Ontem

andei o dia todo a passear, mas para isso tive que acordar muito cedo. Às 7h da manhã já me estavam a molhar a cara. Grrrr.
Depois comi e lá fui eu para a fila da ponte, mas até tive sorte, pois já estavam poucos carros e cheguei lá muito cedo.
A mãe G. utilizou pela primeira vez a cadeira de passeio para me passear e foi muito giro. Subi e desci passeios e escadas, foi muito animado, apesar de eu estar a dormir ;).
De manhã foi a mãe G. que teve consulta e depois da consulta foi a hora da paparoca.
A mãe G. foi almoçar ao centro comercial e aproveitou para fazer umas comprinhas e eu aproveitei para dormir mais uma sesta.
Depois foi a vez de eu ir à consulta. A doutora examinou-me todinha outra vez e fez alguns testes à minha pessoa. Fez também perguntas à mãe G. sobre as minhas reacções e comportamentos, concluindo que estava tudo bem comigo e que eram para manter todos os comportamentos.
Para terminar o dia ainda fui aos anos do meu primo F.. Como já era muito tarde chorei uns bocaditos, mas nada de mais e quando cheguei a casa dormi como um anjinho.

A praia

é um sítio muito giro. Hoje fui com os meus pais à praia. Estava uma temperatura óptima e um mar excelente, só foi pena não ter ido ao banho ;)

passou tanto tempo deste o último post, mas a mãe G. não tem tido muito tempo para estar no computador. Vou tentar relatar os últimos acontecimentos.

segunda-feira, outubro 03, 2005

Uma

pequena acção que pode fazer diferença.
A transplantação de medula óssea é uma prática terapêutica reconhecida, que permite muitas vezes a cura de doenças graves e que podem ser frequentemente mortais.
As mais frequentes são as leucemias e bebés/recém nascidos com alguns tipos de Imunodeficiências primárias.
As possibilidades actuais de um paciente encontrar um dador compatível são de 80% (em 1991 era de 41%), tal só é possível porque existe uma base de dados a nível mundial que regista todos os dadores voluntários.
Acreditem, não custa nada e está tudo extremamente bem organizado. Basta perder algum tempo a preencher o questionário e depois mais um bocadinho para recolherem um pouco do nosso sangue.
Claro que se aparecer alguém que precise do meu sangue terei que despender mais algum tempo, mas não o considerarei tempo perdido, pois é uma das coisas que eu mais gostava de poder fazer.

Está tudo explicado em detalhe em http://www.chsul.pt/.

Mais

100 g, parece que já percebi a quantidade de leite que tenho que beber para engordar o que devo.

Afinal,

são cólicas mãe. Pois é! Depois da A. e do N. terem visto a minha barriga disseram logo que ela estava cheia de ar. Agora vão ter que me fazer umas massagens para eu dormir melhor, sempre que eu tenha cólicas.

O quarto

Do hotel onde ficámos era o mais pequeno de todas, não contando com o “quarto” onde ficámos em Serpa, no fds do casamento do P. e da Z..
A cama de viagem teve que ficar fechadinha no carro e eu tive que dormir no meio dos meus pais.

sexta-feira, setembro 30, 2005

Hoje II

tenho que me portar bem, para a mãe G. conseguir preparar o presente para o pai MR.

Hoje

a mãe G. e o pai MR. fazem 5 anos de casados, e eu estou muito feliz por eles. E este fds vamos passear. Iupiiii.

Rir

é algo que já faço com frequência e para quem o faço fica deliciado.

quinta-feira, setembro 29, 2005

Quando

visito outros blogs apercebo-me do que algumas pessoas vão lendo. Penso que desde o dia em que nasceste nunca mais peguei no livro que estou a ler, ou estava. Agora só breves desfolhadelas por revistas e livros da especialidade, crianças e afins claro.

As noites

são sempre uma incógnita, ora dormes a noite toda lindamente, ou ficas horas até adormecer. E ainda temos as noites em que adormeces com chucha e que cada vez que ela caiu tu choras (muito bom...). Como será a de hoje? Hum?

A balança

do centro de saúde deve estar estragada, ou a mãe G. não sabe trabalhar com ela. Isto porque na segunda-feira foi a mãe G. quem pesou e hoje a enfermeira e deu exactamente o mesmo peso. De referir que a mãe G. teve alguma dificuldade em obter um valor acima das 100 g no início, só depois percebeu que a balança era muito esquisita e necessitava de ser ligada primeiro e só depois é que podias ser colocada lá.
Na próxima segunda-feira vamos lá e vamos tentar tirar alguma conclusão.
Engordaste o que foi pedido pela pediatra, até mais, mas os outro bebés que lá estavam tinham engordado bem mais. Seus GORDOS!!!

Acordar...


Acordar...
Originally uploaded by Gimelo.

terça-feira, setembro 27, 2005

O fim de semana

Em B. foi bem agitado, o primeiro dia, que foi só a partir das 20h correu muito bem, dormi a noite toda na minha cama nova e só acordei mesmo quando a mãe G. me acordava para eu comer.
No dia seguinte com a agitação de todas as visitas que tive quase não dormi durante o dia e só às 2h é que deixei a mãe G. dormir, altura em que eu adormeci também, por exaustão.
No domingo dormi quase todo o dia e só quando cheguei a casa é que fiz a minha birra habitual para dormir.
Obrigada a todos os que me foram visitar e pelas prendinhas também.

00h30m ou 02h00m?

Pois é os relógios são uma coisa muito complicada, principalmente depois do primeiro sono. A mãe G. pôs o despertador para as 00h30m para dar mama, mas ficou mais 5 minutos na cama, quando começou a dar mama eram 02h00m...
(Este acontecimento já tem alguns dias...)

sexta-feira, setembro 23, 2005

Uma campanha

É TÃO FÁCIL AJUDAR:

1. JUNTE as TAMPAS de plástico
2. Entregue numa entidade aderente, ou nos locais de entrega
3. Eles "convertem” as tampas em MATERIAL ORTOPÉDICO!

Nós já começámos, e não custa mesmo nada.

http://www.tampinhas.org/

quinta-feira, setembro 22, 2005

A conclusão

é que a teoria do aleitamento provavelmente estava errada. Mais uma.

A teoria

do frio é a única que ainda subsiste.

Daqui

a uma hora vamos tentar verificar mais uma teoria, desta vez é a teoria do aleitamento dos dois peitos ter nutrientes em quantidades diferentes. We will see.

Quase

todos os dias vai por água abaixo uma teoria, ora é a do frio, ora é a da fome, ora é a da excitação.
Todos os dias a apreender e a ficar baralhada, pois quando pensamos que já sabemos a causa de algo, descobrimos que a nossa teoria está errada.
“Vivendo e apreendendo”

Acabou

por correr bem o resto da noite.

quarta-feira, setembro 21, 2005

Depois

de tantas noites bem dormidas, a de hoje não começou muito bem. Esperemos que seja só o começo e que voltes ao ritmo das últimas noites.

A visita a B.

A avó B. não consegue pensar noutra coisa, ora é a cama, ora são as fraldas, ora é o toalhão de banho, enfim está delirante com a tua visita.

sábado, setembro 17, 2005

O umbigo

Precisa de levar nitrato de prata para ficar mais “bonito”, como tal todos os dias temos que ir ao centro de saúde. Lá já toda a gente te conhece, já és cliente habitual.

Tantas prendas...

Esta semana a S. mandou uma prenda pela avó M. para ti. Ela não tem muito tempo para me vir visitar, mas a mãe G. disse para ela vir cá quando pudesse, de qualquer forma ela já teve oportunidade de te conhecer.
A S. também mandou pela avó B. uma prenda muito gira. E a colega da avó B., a I., também mandou uma prenda muito gira.
Obrigada a todas.

Os avós

Vieram fazer-te mais uma visita, e desta vez trouxeram também os bisavós M. e D., para estes conhecerem pessoalmente.
Até agora só me viram dois bocadinhos acordada, mas lá mais à noite devo estar mais acordada para eles me verem, mas também devo estar menos silenciosa ;)
E claro obrigada pelas prendinhas.
A avó ontem também me comprou um body muito janota.
Estou a ficar cheia de roupas janotas.
Obrigada avó M.

A mania das dietas

Afinal a mania das dietas não se ficou só pela barriga da mãe, continuas a queres ser elegante, mais do que a prima J. até. Parece que queres mesmo ser como o pai MR., ou melhor, como ele era.
Vamos ver as alterações recomendadas pela pediatra fazem efeito, pois podes ser elegante, mas tanto também é demais, pois ainda és muito pequenina.

A melhor noite

Depois de mudados os horários das tuas “refeições”, o resultado foi uma noite muito bem passada.
Vamos esperar que continues a dar noite com a última.

sexta-feira, setembro 16, 2005

As noites

Começam muito mal, pois eu só choro e a mãe G. quando não consegue descansar durante o dia quase que desespera, mas depois quando finalmente adormeço deixo a mãe G. descansar por algumas horas.

terça-feira, setembro 13, 2005

as visitas e as sestas

A V. veio-te cá conhecer e conseguiu-te ver acordada porque estavas a mamar.
A "ti" L. já não teve tanta sorte, quando chegou tinhas acabado de adormecer, e só acordaste depois de ela ir embora, mas bastaram 5 minutos.
A X., o M. e a I. Também te vieram visitar, a X. e o M. já te conheciam, a I. É que não.
A I. adorou a tua espreguiçadeira, pois fez lembrar-lhe a dela. A I. não achou muita piada quando o M. te pegou ao colo.
Ficámos com a sensação que quando o mano(a) da I. nascer vão haver umas birras extra.
O S. e a L. também te vieram conhecer e tiveram o privilégio de te ver acordada, pois fizeste um presente durante a refeição e foi necessário acordar-te para limpar o rabiosque.
Depois pela primeira vez adormeceste sozinha e o resto das visitas do dia só te viram a dormir.
A T. veio cá outra vez, desta vez veio com a M., o N. e o R. não vieram, pois estavam com muito sono, mas ficaram de vir cá para a semana.
Depois ainda vieram o S. e o NA. com os pais e todos eles só te conseguiram ver de olhos fechados, pois a tua sesta prolongou-se pela duração da visita.
A Tia T. também te veio conhecer e como a prima MJ. já tinha dito, também diz que pareces gémea com o JP. apenas és um bocadito mais morena. Afinal são primos, em 3.º grau, mas se forem buscar os mesmos genes podem realmente ser parecidos.
O tempo dirá.
Para além de todas estas visitas, no Sábado com os anos do primo D. mais pessoas te ficaram a conhecer e foi uma maravilha, dormir a tarde toda em vários colinhos.

A primeira "ranhoca"

Ontem a mãe G. tirou-me uma "ranhoca" enorme, ocupava-me quase a narina toda. Como é que queriam que eu não fizesse barulho a respirar, hum?

o cordão umbilical

Finalmente caiu!!! Já lá vão 2 dias, caiu no dia 11.

quinta-feira, setembro 08, 2005

a 8ª maravilha

Seguindo as indicações de algumas pessoas a mãe G. pediu ao pai MR. para comprar uns “bicos” de silicone e a primeira impressão foi “Isto não vai resultar...” e foram postos de lado, mas como a situação exigia mesmo uma solução, os “bicos” foram novamente retirados da caixa e colocados.
Surpresa das surpresas, funcionam lindamente!!!!

Mais visitas

Durante a semana as visitas são menos, mas penso que só na segunda é que não tivemos visitas, é uma alegria a casa sempre cheia de amigos.
No post das primeiras visitas a mãe G. esqueceu-se de referir que a D. A. E o Sr. JM. Não te tinham vindo visitar pois estavam de partida para P. e não estavam com disposição para visitas, mas mandaram uma fatiota muito gira para ti pela S.. Obrigada, vou ficar muito janota ;).
Nos últimos dias vieram também conhecer-te a T., a E. e família e a C. aproveitou e veio mais uma vez com eles e a Ti E. também te veio conhecer.
Resta saber se a C. veio para te ver ou se para comer mais um chocolate ;), a mãe G. acha que foram as duas coisas ;).
A S. também já te veio visitar outra vez e a T. sempre que pode vem cá visitar-te.
A avó M, os tios e os primos maternos também tem vindo quase todos os dias.
Obrigada a todos pela visita e pelas prendinhas que são todas linda e que eu usarei com muito gosto ;).

Primeiro jantar em casa da tia E.

Apenas com 5 dias lá foste tu “jantar fora”. Tu apenas foste passear e continuar o teu soninho, pois estiveste sempre a dormir. A tia E. bem que tentou que tu acordasses, mas em vão, só quando chegaste ao carro é que abriste os olhos.

Pai ensonado

- Ela chorou muito esta noite?
- não, só um bocadinho;
- Se precisares que te ajude, telefona-me.
E a seguir o Pai MR. desata a rir...

A primeira consulta de pediatria

Ontem fomos conhecer a tua pediatra. Para começar o pai MR. ficou maravilhado com o aquário e respectivos peixes da sala de espera da clínica ;).
A médica começou por fazer perguntas aos pais e esclarecer as dúvidas que os pais levavam.
Depois chegou a hora de te acordar para a senhora doutora te examinar.
A médica fez-te uma série de testes e em todos eles destes as respostas esperadas.
O pai MR. ficou maravilhado quando te viu a andar, que é uma faculdade inata que temos quando nascemos, mas como não vamos precisar dela no imediato perdê-mo-la.
Desde que nasceste já engordaste 70 g, mais 2 cms e 1,5 cm de perímetro cefálico.Agora só voltamos lá daqui a um mês se tudo correr bem e temos que te pesar todas as semanas para ver se engordas no mínimo 140 g, se tal não acontecer temos que avisar a tua médica.

Teste do pezinho

Na terça fomos com a AJ fazer o teste do pézinho. O teste deve ter sido bastante doloroso para ti, a mãe G. não viu a execução do teste pois estava junto da tua carinha a falar contigo e a dar-te miminhos, mas o pai MR. assistiu ao teste propriamente dito e fez-lhe bastante impressão.

terça-feira, setembro 06, 2005

segunda-feira, setembro 05, 2005

Noites melhores

Esta foi a tua melhor noite até agora, e todas tem sido melhores do que as anteriores. Esperamos que continues assim ;)

SMS's

Obrigada a todos os que responderam às nossas mensagens.

As visitas na maternidade

Na maternidade para além do pai MR. que estava lá sempre que podia, recebeste a visita da X., do M. e da I. que não te pode visitar por ainda ser muito pequenina.
O G. também te foi visitar e levou a sua tese de doutoramento para tu fazeres a revisão ortográfica, visto que o pai MR. não tem tido tempo para isso.
Agora anda mais ocupado a tirar-te fotos e a fazer filmes dos teus primeiros dias.
A avó M., a tia E., o tio P. e o primo D. também te foram lá conhecer, mas não puderam ficar muito tempo, pois as famosas obras do túnel do Marquês não os deixaram chegar mais cedo.
Obrigada a todos por se lembrarem de me ir conhecer.

domingo, setembro 04, 2005

As visitas da família

Logo no teu primeiro dia em casa vieram-te conhecer a avó, os tios e primos maternos, a D. ME., a M., o E., o J. e a C.
A C. desde que soube que ias nascer nunca mais deixou de dizer que te queria vir conhecer.
O primo F. tinha prometido oferecer-te as chuchas dele, mas agora que nasceste parece que mudou de ideia.
Diz que agora ainda vai fazer 4 anos e que para o ano quando fizer 5 anos é que já é grande e ai sim é que lhe dá as chuchas, e como tu não tens dentes também não precisas de chuchas.
Este fim de semana também recebemos muitas visitas da nossa família.
Estiveram cá os avós paternos, o tio D. e a A. Depois estiveram cá o tio R., a K., o D. e a AS..
Para além da MJ. e do L. que também te vieram conhecer.
Para eles não foste muito simpática, bem não é simpática, queremos dizer que choraste um bocadito, o que não aconteceu com as outras visitas.
E mais uma vez, obrigada pela prendinhas. Não me habituem mal ;).

As primeiras visitas extra familiares

Hoje a Ana Júlia recebeu muitas visitas, parece que decidiram vir todos hoje e quase todos à mesma hora. Se combinassem não conseguiam vir todos ao mesmo tempo.
Vamos ver se não nos esquecemos de ninguém...
Estiveram cá:
- O M., a C. e A. (o A. Como é lógico veio ainda atrelado à C. );
- O R. e a C.;
- A C. e o MR. (não é o pai MR. é outro MR. ;));
- A M. e o H.;
- A S. e a A.;
- A S. e o B.;
Obrigada a todos por me terem vindo conhecer, espero que tenham gostado, eu gostei muito de vos conhecer.
E claro das prendinhas também ;).

Cadeira verde

Durante a última noite a mãe G. pediu ao pai MR. que fosse buscar a cadeira verde, porque a mãe G. queria se sentar nela para ver se ficava mais confortável enquanto tu mamavas e se tu mamavas melhor.
Depois da mãe G. pedir, pelo menos, 5 vezes, o pai MR. continuava a olhar para a mãe G. com cara de quem não estava a perceber o que ela queria e que lhe estava a pedir algo de muito estranho, ou talvez tivesse a falar noutra língua.
Depois de a mãe G. muito insistir que queria a cadeira verde que estava na sala, o pai MR. finalmente levantou-se, mas ainda nada convicto do que iria fazer, pois a cadeira verde continuava a ser um grande dilema para ele.
Já em pé o pai MR. ficou algum tempo a olhar para tudo o que o rodeava na tentativa de encontrar algo que pudesse ser a cadeira verde.
Até que finalmente ela passou diante dos seus olhos, felizmente que ela estava à vista, se não a mãe G. ainda agora não teria a cadeira verde para se sentar.
Ao que o pai MR. disse: “A cadeira verde, é aquela que está ali? É aquilo que queres?”.
Ao que a mãe G. respondeu que sim. Depois de trazer a cadeira para o quarto, foi mais um dilema na cabeça do pai MR. para conseguir por a cadeira no sítio e posição que a mãe G. queria.
Podem acreditar que a mãe G. não estava a falar noutra língua, a cadeira verde era um objecto bastante conhecido do pai MR. , o pai MR. é que estava com o cérebro a funcionar apenas com algumas funções básicas.
Quando as restantes funções foram reactivadas e o pai MR. percebeu o que se tinha passado ficou mais de 10 minutos a rir.

sábado, setembro 03, 2005

Pontual como o pai

Quem diria que irias nascer no ia previsto, no dia 31 de Agosto? Começas bem, extremamente pontual...

Eu tentei telefonar à mãe durante uma hora, das 17 às 18 sem sucesso, o que me levou a desconfiar que alguma coisa se passava. Para além disso a tia E. também disse que o melhor era ir para lá o mais rapidamente possível pois, se ela não atendia, podia ter já entrado em trabalho de parto.

Às 18:00 saí e, antes de arrancar para a maternidade a mãe telefonou e disse: "Já estou em trabalho de parto, vem já para cá, mas vem devagar!". E assim fiz, às 18:30 já lá estava, ainda cheguei antes da mãe ao 2º andar. Passado pouco tempo deram-me uma bata e umas sobre-botas de plástico e, depois de darem a epidural à mãe eu entrei e só saí quando ela foi para o recobro. No parto propriamente dito a mãe portou-se muito bem e apenas lhe custou mais pois teve uma inoportuna cãimbra na perna direita o que lhe dava muitas dores e dificultou bastante o período expulsivo, pois não conseguia ter concentração suficiente para fazer a força necessária.

Mas, apesar desta contrariedade, às 20:37 já estavas cá fora. O Pai MR. ficou um bocado espantado com a resistência da mãe pois a enfermeira C. fez tanta força na barriga dela, a empurrar-te para baixo, que eu pensei que ela lhe ia partir alguma costela mas, no final correu tudo muito bem. Outra coisa que dificultou o parto foi o facto de tu vires com a cabeça encostada ao ombro, o que não ajudou nada!!

Uma coisa bastante estranha foi a maneira como as enfermeiras te pegaram, para te levarem para a bancada onde foste lavada. Parecia que estavam a pegar num frango. Pegaram-te pelos pés e levaram-te pendurada...
Quando nasceste estavas muito vermelha mas passado 15 minutos já tinhas a pela da cara mais rosada. As mãos é que continuaram um bocado brancas durante mais tempo.

Depois do parto, durante o recobro, o Pai MR. teve que sair. Quando voltou, às 23:40, estiveste a mamar mas estavas cheia de sono pois davas 2 ou 3 chupadelas e adormecias. Perto da uma da manhã o Pai MR. teve que vir para casa, adormeceu às 2.30 e às 6:30 já estava acordado...Está-se a habituar a dormir pouco ;)

31 de Agosto de 2005

Este foi um dia bastante engraçado. A mãe G. foi à maternidade, de manhã bem cedo, para avaliar a situação, para ver se o teu nascimento seria para breve ou não e, por estranho que pareça, começou a ter contracções à saída de casa, de 10 em 10 minutos. Quando lá chegou disseram-lhe que ainda não ias nascer, que ainda faltava algum tempo, mas pouco, que era para breve. Fizeram-lhe um CTG e, como a nossa casa fica longe, mandaram-na andar bastante a pé, para acelerar o processo, e disseram para voltar lá às 17:00.

Eu fui lá ter com a mãe, na hora de almoço, e ela estava com algumas contracções, mas estas ainda davam para aguentar bem. Mais perto das 17:00 começou a ter umas mais fortes, que já não lhe permitiam andar, tinha que parar e esperar que a contracção passasse.

Quando chegaram as 17:00, a mãe foi à maternidade, conforme combinado, e esteve até às 18:00 a fazer um CTG. No final a Dra. disse que o parto ainda iria demorar pois os valores do CTG assim o indicavam. Quando a mãe G. ouviu isto disse que tinha tido umas contracções muito fortes, só que eram lombares, e que no aparelho estas não tinham registado valores muito elevados, pelo menos no início das mesmas. Ao ouvir isto a doutora fez o toque à mãe. Assim que fez o toque disse logo que ela já tinha entrado em trabalho de parto e que ia já subir para a sala de parto.

terça-feira, agosto 30, 2005

Esses de Azeitão

A mãe G. acha que a AJ. gosta destes bolos típicos, pois mal a mãe G. acabou de comer um, a AJ. começou logo a movimentar-se.
Mas a mãe G. só comeu um, porque se não a glicémia vem por aí acima.

100 anos de solidão

este é o livro que a mãe G. começou a ler agora. Apesar de ainda ir no início a história é bastante cativante. Os anjos e demónios vão ter que esperar para outra altura.
    

segunda-feira, agosto 29, 2005

Notícia do dia

a notícia do dia que a mãe G. ouviu de relance e que a deixou desiludida com a situação que se vive actualmente.
"170 Kgs de carapau vendido a 6,5€".
Esperemos que a situação melhore rapidamente para bem de todos.

Dia 3

Segundo o avô A. é neste dia que vais nascer, pois neste dia muda a lua.
Cientificamente nada credibiliza esta teoria das luas, mas parece que as taxas de ocupação das maternidades nas mudanças de lua aumentam significativamente.
Vamos ver...    

Quase sem almoço...

Enquanto o almoço se fazia a mãe G. aproveitava para visitar os blogs dos amigos, mas distraiu-se de tal forma que se esqueceu do almoço... Felizmente o pitéu (sem sal claro) tinha muito molho e não houve sabores adicionais.

Deixa-me dormir só uma hora...

Esta foi a reacção do Pai MR. quando no fim-de-semana a mãe G. lhe disse que talvez naquela noite tivéssemos que ir para a maternidade. Isto porque a mãe G. suspeitou que lhe poderiam ter rebentado as águas, mas depois de uma verificação mais atenta confirmou que não e pode deixar o pai MR. dormir mais do que uma hora. Diga-se que dormiu bem mais, e se não fosse o tio P. Dormia ainda mais.

mais uma visita à farmácia

Hoje os valores estavam novamente mais altos, pelo que a mãe G. vai-se obrigar a cumprir uma dieta bem rigorosa até tu nasceres.
E felizmente que está em casa, pois comer fora sem sal iria ser muito complicado.
Hoje a mãe G. decidiu fazer também o teste da glicémia para ver como é que estava. O valor estava mais baixo do que o das últimas análises, mas ainda um pouco elevado, pelo que aqui também se impõe uma dieta mais apertada.

sexta-feira, agosto 26, 2005

hoje

a tensão arterial voltou a subir...
Mas ainda continua nos valores fora de perigo.
A dieta sem sal é mesmo para manter...

Bombeiros...

Há coisas que para mim não fazem sentido...
Factos:
- vimos na televisão que vem bombeiros das ilhas para nos ajudarem no combate aos incêndios;
- uma boa parte do país tem estado a arder;
E depois vemos vários bombeiros todos os dias nos semáforos a venderem rifas aos automobilistas.
Desculpem, mas para mim, isto não faz qualquer sentido, e por muito que perceba as suas causas, revolta-me que ali estejam neste momento, quando, quanto a mim, poderiam estar no combate aos incêndios existentes.

quinta-feira, agosto 25, 2005

Obrigada M.

Ainda não vimos o resultado final, mas sabemos que está linda. :)

As prendas...

Esperamos não nos estarmos a esquecer de nenhuma, se nos esquecemos de alguma, por favor avisem-nos, pois todas são importantes e queremos ficar com todas registadas.
Obrigada.

As prendas dos avós

Os avós paternos estiveram cá a passar um fim-de-semana e vieram carregados de coisas para ti, ora foram prendas das suas férias na Madeira, ora foram as peças feitas pela avó B., e como se ainda fosse pouco a avó B. ainda foi às compras.
Muito obrigada aos dois.

quarta-feira, agosto 24, 2005

Um dia inteiro na maternidade...

É verdade, um dia inteiro :(
O dia hoje começou bem cedo, o que ultimamente não é muito comum para a mãe G.. Depois de pensar que iria rumar à maternidade, surge o primeiro contratempo da manhã. Nada melhor do que ver o outro carro a bloquear-nos a saída, grrrrr.
Temos que voltar para trás, mudar o carro de sítio, voltar a casa e deixar a chave.
E com isto tudo foram no mínimo 5 minutos.
Bem... Agora é que é.
Lá foi a mãe g. rumo à maternidade, e pelo caminho teve oportunidade de relembrar o stress matinal de alguns condutores cheios de pressa para chegarem ao trabalho.
Depois de uns 20 minutos na fila para a ponte, Lisboa sorria ao longe (isto nem parece da mãe G., mas saiu assim...).
Depois de algumas voltas lá conseguimos encontrar um lugar para estacionar, não muito longe da maternidade e sem parquímetro.
Lá vamos nós para a maternidade, e para não variar, fomos ter ao sítio errado, não era bem naquela porta, mas felizmente era muito perto.
Na entrada tinha um anúncio do tipo "grávidas não tiram senha, dirigem-se ao balção x", que foi o que a mãe G. fez. Quando lá chegou, o que foi que lhe disseram? "Tem que tirar uma senha"...Será que são eles que não sabem ler, o será a barriga que ainda não é suficientemente grande, enfim, bem-vinda aos mundo das coisas sem nexo.
Depois de algum tempo de espera a mãe G. foi chamada para o gabinete da enfermeira, onde lhe deram algumas informações e onde mediu a tensão arterial e se pesou. A tensão estava praticamente igual à de segunda-feira, pelo que tudo se mantêm. E em relação ao peso, a mãe G. gostou muito daquela balança pois dava menos um quilograma :).
Depois foram mais umas horas de espera até ser atendida pela médica anestesista, que fez algumas perguntas e deu mais algumas informações.
Depois a mãe G. teve de rumar até ao laboratório de análises para fazer umas análises que não estavam nas que a mãe G. levava consigo.
E desta vez sem se enganar ;).
E como isto tudo já passava das 14h.
Aqui até que foi rápido, seguidamente lá fomos nós para as urgências para fazer mais um CTG e ver qual era a opinião do médico de serviço.
Depois da espera, algo demorada, devido possivelmente às três mamãs que entraram na urgência já em trabalho de parto, lá chamaram a mãe G. para fazer o CTG. Era preciso esperar mais um pouco, pois o aparelho da urgência estava a ser utilizado.
Foi então que a médica perguntou se a mãe G. já tinha almoçado, a mãe G. disse que não, que já tinha comido, mas almoço propriamente dito não tinha feito, foi então que a médica a mandou ir ao bar comer uma sopinha e voltar lá depois para fazer o CTG.
A mãe G. lá foi ao bar, novamente sem se enganar no caminho, e comeu uma sopinha e uma ... (não se pode dizer ;)).
Voltou novamente à urgência e aguardou mais uma vez que a chamassem. No momento em que ia comer mais uma bolachinha de chocolate voltaram a chamar, lá teve a bolachinha que ficar para depois, mas em contrapartida deram à mãe G. um rebuçadinho para ela saborear e para que tu pudesses estar mais activa.
Depois de mais de 40 minutos de CTG, e a mãe G. quase a dormir, lá voltou a senhora enfermeira para avaliar os resultados, e como a mãe G. estava com sono e tu muito calminha os valores estavam com poucas alterações, como tal a mãe G. teve de comer outro rebuçado e tentar estar mais acordada.
E agora sim, tu estavas mais activa.
Finalmente terminou o exame e mais uma vez à que esperar, pois a doutora estava a fazer uma cesariana e era necessária a opinião dela sobre o resultado do exame. E saber também se podíamos ir embora ou se ficávamos já lá hoje, pois a mãe G. teve algumas contracções relevantes durante o CTG.
Quando a médica voltou, informou a mãe G. que estava tudo bem e que podia ir para casa descansada e caso não tivesse nenhum sinal ou alteração anormal até à próxima quarta-feira, para lá voltar nesse dia para fazermos mais um CTG e nova avaliação.
Depois de toda esta agitação, nada melhor do que ainda haver fila no caminho para casa, mas felizmente não estava tão má como os senhores da rádio anunciavam, como é costume ;).
E por hoje é tudo, pois já são horas de ir descansar.

terça-feira, agosto 23, 2005

As idas ao supermercado

do pai MR. merecem sempre algum comentário da mãe G..
Ora é porque na lista estavam 2 latas de milho, por exemplo, e o pai MR. traz 10, e aplica a mesma regra a mais uns quantos produtos.
Explicação: “Agora sou eu que vou às compras, pelo que se trouxer mais não vou ter que lá voltar tão depressa.”
O problema é que temos algumas limitações de espaço e a fazer compras desta maneira, qualquer dia não conseguimos entrar em casa.
Outro aspecto são as embalagens “maxi”, que podem parecer a melhor opção, mas depois o que se sucede, é que parte do produto tem que ir fora, pois acaba por se estragar.
Mas apesar de ser necessário dar estas dicas, a mãe G. muito agradece ao Pai MR. por realizar estas tarefas.

segunda-feira, agosto 22, 2005

E agora

a mãe G. vai-se dedicar a ver mais umas revistas de ponto cruz, para escolher mais um desenho para umas das tuas fraldinhas.

Obrigada T.

A saia que ofereceste à AJ. é linda e ela vai ficar linda com ela vestida, de certeza (pais babados a falarem ;)).

finalmente

os dois valores da tensão arterial da mãe G. desceram, estando agora mais longe dos valores de risco, mas ainda longe dos valores que costumava ter habitualmente, de qualquer forma, é óptimo que os valores estejam mais controlados.

domingo, agosto 21, 2005

a visita à maternidade

Na sexta a mãe G. foi fazer uma visita à maternidade com o intuito de conhecer a equipa que estará lá no momento em que decidas nascer, mas como surgiu a necessidade de fazerem uma cesariana de urgência alguns momentos antes, a mãe G. não pode conhecer nenhum dos membros da equipa.
A primeira peripécia foi encontrar o caminho certo para a maternidade, porque uma coisa é ir de transportes e poder entrar a pé pelo sentido proibido, o que aconteceu da última vez, outra coisa é estacionar em frente ao portão principal e ir a pé à procura da porta de entrada.
Sem informações claras sobre a forma de lá chegar a mãe G. chegou a um ponto onde teria de escolher se iria para a direita ou para esquerda, sem ter nenhuma informação adicional, claro que a mãe G. optou pelo lado errado, por onde teve de fazer uma boa caminhada até perceber que não havia forma de chegar à porta da maternidade por aquele lado e que seria necessário voltar ao ponto anterior e fazer tudo pelo lado oposto, ou quem sabia naquela altura ter mesmo que sair e voltar a entrar pelo sítio por onde entrou da outra vez, mas felizmente não foi necessário recorrer a essa solução.
Com o calor que estava teria conseguido perder mais umas gramas e chegar lá completamente de rastos.
Depois de uma longa espera na sala de espera, onde a família de uma bebé que tinha nascido insistia em estar na conversa e não deixar perceber os nomes das pessoas que eram chamadas para entrarem.
Finalmente o nome da mãe G. soou nas colunas da sala de espera. Já lá dentro e depois de sabermos que a equipa se encontrava a fazer a dita cesariana, fizemos mais um CTG, mas os aparelhos devem ser alérgicos a nós, pois de todas as vezes há um sensor que sai do sítio...
Na próxima semana vamos lá voltar para a consulta de anestesia e para fazer mais um CTG, isto claro se tu não te antecipares.

A segunda aula do pai MR.

Desta vez o pai MR. foi convidado a colaborar mais activamente. A enfermeira que dá o curso perguntou-lhe se ele já sabia fazer os vários tipos de respiração, e que era muito importante que ele os soubesse, pois é suposto que ele esteja calmo no momento do teu nascimento e que vá ajudando a mãe G. a fazer as coisas bem.
No momento dos exercícios expulsivos o pai MR. ajudou a mãe G., mas como a prática não é muita os exercícios não correram a 100%, mas se tu não te apressares ainda vamos ter tempo para aperfeiçoar a técnica.

quinta-feira, agosto 18, 2005

Vida de doméstica

Obrigada Pais, pelo esforço que fizerem e como tal me puderam proporcionar os estudos que tenho e consequentemente ter tudo o que tenho hoje.
Pois vida de doméstica é dose. O que vale é que a T. só tira férias um mês por ano.
Tenho que pensar seriamente em tirar férias em Agosto também, assim junto o útil ao agradável..

a almofada milagrosa

Quem diria que uma almofada debaixo dos pézinhos durante noite faz milagre? Ao deitar, uns pés de gigante, de manhã pés de cinderela.
Há almofadas fantásticas!!!!

a tensão arterial

Hoje estava o oposto da última medição, a máxima mais baixa e a mínima mais alta, mas as duas ainda dentro dos valores aceitáveis.
Quem me explica como é que se conseguem descer os dois ao mesmo tempo?
A guerra ao sal vai continuar...

compotas

Chegou a época das compotas, a mãe G. ontem fez de pêra, mas sem balança o açúcar ficou prejudicado. Nada melhor do que uma boa compota light ;)
Hoje a Tia M. ofereceu à mãe G. compota de tomate. Obrigada Tia M., e que delícia que está.

quarta-feira, agosto 17, 2005

a primeira aula de preparação para o parto do pai MR.

Ontem foi a primeira aula de preparação para o parto que o pai MR. foi assistir. Nesta primeira aula apenas assistiu, mas na próxima já deverá participar activamente na aula, ajudando a mãe G. nos exercícios expulsivos.
Uma avó que também assistia à aula passou o tempo todo a falar com o pai MR., que apesar de meter conversa com toda a gente, já estava um bocadinho farto, pois a senhora não se calou por mais de 60 segundos seguidos.
A mãe G. fez pela primeira vez os exercícios expulsivos, mas com a ajuda da enfermeira que lecciona o curso. Os exercícios correram bem, mas na hora com as contracções, não deve ser assim tão fácil....vamos esperar para ver.
Eu depois conto se é igual.

terça-feira, agosto 16, 2005

Guerra ao sal

Esta guerra tem que ser cada vez mais feroz, pois parece que a tensão não para de subir....
Porque é que tudo tem de ter sal??? :(

domingo, agosto 14, 2005

Nada como um belo dia de praia

Depois de um dia de praia em que a mãe G. não pode ir à água, pode, mas foi um ir à água “à velha”...
Hoje as ondas estavam mais pequenas e a mãe G. já pode ir à água como deve ser.
Que maravilha, estava um mesmo boa a água.

sexta-feira, agosto 12, 2005

mais uma visita à obstetra

Depois das validações e medições habituais verificou-se que a tensão arterial estava a subir um pouco, o que justifica os inchaços nas mãos e pés da mãe G., pelo que medições mais frequentes da tensão arterial da mãe G. vão ser necessárias.
Nada melhor do que uns bons passeios até à farmácia.
Conforme a mãe G. já tinha desconfiado, o valor da glicémia estava um pouco elevado, mas tal deve ser justificado pelo excesso de ameixas que a mãe G. tinha comido para regularizar outros órgãos...
Em relação ao peso, já cá cantam mais 2 kilitos, isto é que é engordar, vamos lá ver se se emagrece assim tão bem.
Chegou a altura de fazermos o toque, em que a doutora verificou que estava tudo normal para o tempo de gestação que temos, pelo que quem fez apostas para o próximo fds deverá perdê-las.
Continuas de cabeça para baixo, o que esperamos que mantenhas, pois de outra forma podes-nos complicar mais um pouco as coisas ;)
Depois da consulta foi altura de fazer o primeiro ctg. O ctg demorou cerca de 20 minutos e no meio de tantos altos e baixos, e tantas mexidelas dentro da barriga da mãe G., o resultado foi o esperado, ou seja, que tudo está bem.
Vamos agora aguardar por algum sinal ou esperar até à próxima consulta para vermos qual é a evolução.

quinta-feira, agosto 11, 2005

Planos para os próximos dias...

Este fim de semana vêm os Avós lá de cima, o tio D. e a A., visitar-nos. Chegam na sexta e vão na segunda, se tu não decidires nascer no fim-de-semana. Pelo que temos ouvido, há alguns bébés que decidem nascer depois de a obstetra fazer o "toque" e como o teu vai ser feito amanhã, vamos lá ver se nasces logo a seguir, conforme nos têm dito que costuma acontecer...De qualquer modo, mesmo que nasças já nos próximos dias, já temos tudo preparado para a tua chegada. Mas não tenhas pressa, nós esperamos mais uns dias ;)

O infantário escolhido

Para o teu primeiro ano já está escolhido. Escolhemos este porque nos pareceu a melhor opção. As instalações parecem boas e o pessoal adequado e fica no caminho para os nosso empregos. A nível prático, tem também algumas vantagens relativamente às amas, o único sitío onde até agora também tinhas vaga assegurada, pois apenas temos que levar o teu leite e apesar da mensalidade ser mais elevada, como só começamos a pagar na data em que fores, torna-se mais económico.

a grande barriga

Cada pessoa que encontro diz que estou com uma barriga enorme e que deves estar quase a vir cá para fora...Vamos ver.
Há quem já faça apostas do dia do teu nascimento ;)

E agora são os pés

Depois das mãos, são os pés que começam a dar sinais.
Mas de forma inversa, estes acordam magrinhos ou pelo menos mais magrinhos e quando chegámos ao final do dia parecem parecem os pés de uma monstrinha :'(

segunda-feira, agosto 08, 2005

As articulações

As articulações começam a dar os seus sinais...
Parece que é velhice, mas ainda não deve ser isso ;)
Durante a noite as articulações das mãos ficam bem presas, mas felizmente ao longo do dia vai melhorando.
Dizem que a hora de saires de dentro de mim se aproxima, vamos ver...

quinta-feira, agosto 04, 2005

células estaminais

O que kit já chegou e já se encontra junto à mala para levar para a maternidade.
Esperamos nunca ter de recorrer a elas, mas achamos que podem ser precisas e se tal acontecer, mais tarde não poderíamos voltar atrás com a decisão de não guardar.

quarta-feira, agosto 03, 2005

As idas à casa de banho durante a noite :(

O nosso corpo é fantastico, começa logo a habituar-nos a termos que nos levantarmos durante a noite. Começa com a desculpa de ir à casa de banho e os intervalos vão ficando cada vez mais curtos...
Esperamos que depois do parto as idas ao wc sejam menos frequentes durante a noite, ou pelo menos que sejam coincidentes com as mamadas ou sessões de biberão.

quinta-feira, julho 28, 2005

as aulas de preparação para o parto

Depois de pensar que tinha faltado à primeira aula, que não houve e de ter ido a uma aula no horário das grávidas em final do tempo, lá consegui atinar com as aulas...
As aulas são muito interessantes e aprende-se sempre qualquer coisa, o que eu considero muito positivo.
Vamos aprendendo exercícios de respiração para o parto e existe sempre um tema que nos é explicado em cada aula.
Nas aulas do próximo mês já deve ser possível o pai MR. ir assistir, pois aos poucos vamos começando a ser menos. Agora sem pais quase que não cabemos na sala, por esse motivo os pais não são permitidos.
Tens de esperar pai MR.

mais um infantário

Ontem a mãe G. foi visitar mais um infantário.
Este foi recomendado pela S.. Fica um pouco longe, mas fica no caminho para o trabalho dos pais.
Ainda tem vagas (uipi!!!) e as instalções são novas e pareceu-nos que tudo funcionava bem.
Agora resta-nos ler bem as letras pequeninas e decidir onde vais ficar depois de os pais voltarem os dois ao trabalho.

mais uma sessão de análises

Mais uma recolha de sangue, que por sinal foi muito rápida, nem deu tempo a ler um paragrafo das regras do último infantário visitado.
E felizmente não foi preciso fazer o teste da glicémia passado uma hora.
Vamos aguardar os resultados, que talvez estejam um pouco altos, depois de um fabuloso jantar de verão em casa da X. é natural que a ingestão de doces tenha sido um pouco maior do que o normal.
o dia para fazer as análises não foi muito bem escolhido...Mas tinha que ser assim, pois os resultados são necessários para breve.

repouso vs dieta

A mãe G. tem que repousar mais um pouco, pois a menina está um pouco magrinha, segundo as estimativas da última ecografia.
Vamos ver se depois conseguimos confirmar se é a mãe G. que repousou pouco ou se é a menina que já tem a mania das dietas nos genes.

as roupinhas da prima C.

Mais roupinhas, desta fez foi a prima C. que nos emprestou as suas roupinhas, que são muito bonitas e muito femininas.
Obrigada prima C..
Vamos ver se consigo vestir as fatiotas todas :)

As prendinhas não param de chegar

É verdade, as prendinhas não param de chegar...
Vamos ver se não nos esquecemos de registar nenhuma...
Se nos esquecermos, as nossas desculpas, mas se derem por isso, por favor, avisem-nos. Obrigada.

A "tia" E. ofereceu um conjuntinho muito bonito e muito pipi ;)
A avó B. já fez uma fraldinha e comprou uns lençois para ti.
A tia E. também já bordou 2 fraldinhas.

Obrigada a todos.

isto está difícil

A regularidade é cada vez menor, vamos ver se conseguimos repôr o ritmo.

sexta-feira, julho 08, 2005

tanta coisa desde o último post

já passou tanto tempo, vamos ver se conseguimos registar tudo aqui.
- montámos a tua caminha, temos que dizer que o Pai MR. estava com algumas dificuldades...
- começámos a por as coisinhas na mala...
- e tantas coisas mais...
Vamos publicar o post assim mesmo, senão nunca mais avançamos.

segunda-feira, junho 27, 2005

primeiro concerto do pai MR.

Depois de 50 voltas à 24 de Julho lá conseguimos estacionar o carro e ir ao encontro do pai MR., que conjuntamente com os restantes alunos das gaitas iam dar o seu primeiro concerto.
Depois de ultrapassados os obstáculos dos seguranças lá conseguimos chegar.
Ainda conseguimos assistir ao ensaio geral e depois no concerto ficámos na primeira fila, assim como os restantes fotográfos "oficiais", até tivemos direito a lugar sentadas (no chão, claro!!!).
O concerto correu muito bem, parece que houve uns enganos, mas ninguem deu por isso, e para além de muitas palmas no fim das músicas, ainda foram chamados para tocar mais umas musiquinhas.
Depois assistimos ao segundo concerto, que também foi muito giro, mas não até ao fim, porque já era muito tarde e os pais já estavam um pouco cansados.
Para terminar a noite nada melhor do que chegar ao carro e não ter antena....

o saco do pão

Desta vez foi o F. e a M. que trouxeram dois "vestidos" muito giros para tu usar logo nos primeiros tempo.
e quem adivinha a cor? seram rosa? hum...acertaram!!!!
E porque é que este post tem o título de saco do pão?! não estou a perceber...
Chama-se assim, porque foi assim que o F. caracterizou um dos "vestidinhos", e para que não fique esquecido, vamos memorizar essa frase aqui.
Obrigada F. e M..

resultado teste glicémia

Na sexta ficámos a saber os valores da glicémia, que felizmente não subiram, até desceram, principalmente o valor em jejum, pelo que não comer doce faz muito bem.
Agora, de vez em quando, a mãe G. pode comer um docito, mas uma dose pequenina e só de vez em quando.

quinta-feira, junho 23, 2005

um infantário a menos...

Ontem ficámos a saber que não tens vaga num dos infantários onde te inscrevemos, a não ser que alguém desista...
A possibilidade da ama está sempre assegurada, a chatice é que temos que levar a comidinha toda até teres 1 ano.

quarta-feira, junho 22, 2005

o código da vinci

Conforme o esperado a mãe G. acabou o livro enquanto aguarda numa sala de espera, para uma das consultas, exames relacionados com a nossa gravidez. Foi enquanto aguardava para repetir o teste da glicémia que consegui terminar o livro.
É de facto um livro emocionante e que vale a pena ler, só é pena o final ser um bocadinho diferente do esperado... e mais não digo.

teste glicémia

Hoje fomos repetir o teste da glicémia, conforme a médica tinha indicado. Lá fomos nós outra vez em jejum, que é a parte que mais custa à mãe G, quando é por muito tempo. Depois de tirarmos a primeira dose, bebemos o copinho com a limonada hiper doce e depois foi aguardar uma hora até podermos tirar a segunda dose.
Daqui a dois dias os resultados já estão prontos, agora é só esperar que esteja tudo bem.

o mistério do carrinho está resolvido

Graças ao tio M. e à tia P. conseguimos descobrir a solução para o encaixe do "ovo" no carrinho de passeio. Não haja dúvida que a experiência conta muito.
Obrigada tio M. e tia P.

terça-feira, junho 21, 2005

que soneira....

Porque é que durante a noite mal consigo dormir e à tarde dá-me uma soneira que mal me aguento em pé??? Isto de estar grávida tem, de facto, os seus q's.

a mantinha

Mais uma mantinha para a AJ., esta é a avó M. que vai fazer. Depois de muito escolhermos, decidimos que irá ser branca e rosa.
Obrigada avó M.

segunda-feira, junho 20, 2005

mais coisinhas

Na sexta-feira a mãe G. aproveitou para fazer mais umas comprinhas enquanto esperava pelo pai MR..
A mãe G. comprou um biberon de leite para recém-nascidos muito giro e cheio de coisas cor-de-rosa.
A mãe G. comprou também uma mantinha muito gira para ti, desta vez branquinha, pois não pode ser tudo rosa.
A avó B. ofereceu-te estas duas coisas.
Obrigada avó B.
A tia E. e o primo D. também te ofereceram umas meias muito giras, também rosa, que te vão ficar muito bem com o babygrow rosa.
Obrigada tia E. e primo D..

sexta-feira, junho 17, 2005

pai entusiasta

Foi como a médica obstetra definiu o pai MR., a ver o quanto ele delirava com os teus batimentos cardíacos.
Nesta consulta a médica analisou os resultados das últimas análises e concluiu que continuava tudo bem, excepto os valores da diabetes que estavam muito próximos dos limites aconselhados, pelo que a mãe G. vai repetir a análise para ver se está tudo bem ou se é preciso tomar alguns cuidados adicionais.
A mãe G. queixou-se também que nos últimos tempos tem tido algumas caimbras, pelo que vai começar a tomar um medicamento para reduzir as mesmas, que são muito chatas...
Os pais aproveitaram para pedir novamente opinião à médica sobre a guarda das células estaminais, e segundo a opinião dela, até agora estas só serve para doenças de sangue como leucemias e cancros de sangue, e que a quantidade que é guardada apenas é suficiente para uma criança, pois os jovens e adultos necessitam de quantidades maiores para eliminar estas doenças. No fim-de-semana os pais ouviram mais umas opiniões, e apesar apesar de ainda não terem tomado uma decisão, estão mais "inclinados" a fazer a guarda das células.
quando chegou a hora de pesar, descobrimos que a balança não estava muito boa, pois não passava dos 35 kgs. Parece que um menino que tinha lá estado com a mãe na consulta anterior tinha andado a brincar com a balança.
Fomos então a outro consultório e fomos pesadas numa balança muito antiga e com um método obviamente muito antigo também. Segundo este engordámos mais 2 kilos desde a última consulta.
Vamos ver se continuamos assim ou a engordar ainda um bocadinho menos.
Como já tínhamos referido aproveitámos para perguntar à médica se as alterações notadas nos pontapés eram sinónimo de já teres dado a volta, ela disse que sim, que era possível, pois tal costuma acontecer entre as 30 e as 32 semanas e que na próxima ecografia iremos ter a confirmação.
Com ou sem volta, o que se passa é que continuas a dar muitos pontapés e fortes.

quinta-feira, junho 16, 2005

os airbags - take II

Afinal desactivar os airbags não se processa como os pais pensavam. No carro "grande" não existe essa possibilidade, por isso vais ter de andar sempre no banco de trás, e no "pequenino" irás no banco da frente mas com o airbag frontal desligado.
Segundo o senhor da oficina no "grande" não é mesmo possível desactivar os airbags, só no modelo mais recente.
Noutras marcas é possível, mas o processo requer várias burocracias, o que leva a maioria das pessoas a desistir.
Os pais já desistiram, pois consideram que o lugar mais seguro para viajares é de facto no banco de trás, apenas puseram a hipótese de ires à frente, quando fosses sozinha com o condutor, pois na primeira cadeira, o condutor não te consegue ver, pois a cadeira fica virada para trás.

dar a volta

Amanhã vamos, em princípio, ter a confirmação se já deste a volta ou não, mas a mãe G. tem fortes suspeitas que já te tenhas virado de cabeça para baixo.
Deve ter acontecido durante o dia de ontem, dia em que não paraste de dar pontapés à mãe G., e eram tantos e tão fortes que a mãe G. estava de rastos no final do dia.
Hoje continuaste a dar ainda bastantes pontapés, mas comparando com o dia de ontem foi bem mais pacífico.
Temos a sensação que os pontapés agora são diferentes, por isso é que pensamos que possas ter dado a volta.
Amanhã na consulta com a obstetra vamos ver se ela nos consegue confirmar as nossas suspeitas.
Se assim for deste a volta às 29 semanas.

quarta-feira, junho 15, 2005

estão a dar cereais lá fora

Mas a preguiça para os ir buscar é muita e para além do mais a mãe G. está deliciar-se com os pontapés que lhe estás a dar, bem melhores do que qualquer pacote de cereais.

as sessões de ginástica

Parece que vais ser bastante activa, isto se fores tão activa quanto és na barriga da mãe G.. "Qual depois de comer, qual quê", basta a mãe G. sentar-se ou deitar-se um bocadinho e ficar descontraída e lá começas mais uma sessão de ginástica.

os airbags

Nas próximas férias os pais vão ter que levar o carro à oficina para desactivar os airbags do lugar do passageiro, pois é a única forma de poderes viajar nesse lugar em segurança. Nos primeiros tempos, irás viajar sempre virada para trás, pelo que quando fores só tu e a pessoa que vai a conduzir, a melhor solução é ires nesse lugar, pois é o único sítio onde o condutor te consegue ver e também mexer se for necessário, sem ter de parar o carro.

domingo, junho 12, 2005

deixem a cabeça do anjo em paz

este foi o comentário da avó M., quando estávamos todos em casa da tia E. e um bocadinho do teu corpo estava bem saliente, e como tal os primos J. e D., o tio D. e a A. puseram a mão na barriga da mãe G. para poderem sentir-te. A prima J. foi quem ficou mais impressionada. Só podia ser a prima J..

quinta-feira, junho 09, 2005

a roupa...

A roupa deixa de servir num instante, mas felizmente encontram-se outras peças no armário que se adaptam perfeitamente.

o calor...

Esta semana tem feito um calor insuportável, só se consegue estar bem em sitios com ar condicionado.
Quando não há ar condicionado, lá começa a mãe G. a ficar toda molhada por baixo dos peitos.
Nas primeiras vezes não foi muito agradável, um pouco constrangedor até, mas agora já se habituou, pois não há nada a fazer....
Vamos ver se as temperaturas descem um bocadinho, senão..., vai ser sempre a destilar.

quarta-feira, junho 08, 2005

as costelas parecem que vão dar o berro

é verdade, os ossos começam agora a dar os primeiros sinais das alterações corporais. As costelas tem sido as que mais se queixam...

a visita ao dentista

Fomos à segunda consulta relacionada com a gravidez, que convinha ser próxima dos 7 meses, pois normalmente é a última até à data do parto e antes dos 7 meses, pois a partir dessa data não convem mexer muito pois pode desencadear o parto e o médico dentista avisou logo na última consulta que ele não era propriamente obstetra ;)
Lá fomos nós ao para ver se continuava tudo bem com os dentes da mãe G.. O médico dentista disse que sim e que se não houver queixa só é preciso lá voltar passados 6 meses.
Que bom!!!
Nada melhor, do que depois de uma ida ao dentista, ir almoçar com o pai MR. :D, foi pena a maioria dos pratos estarem cheios de salsa crúa por cima. Quem inventou essa moda não devia saber o que é a taxoplasmose...

segunda-feira, junho 06, 2005

as coisas da prima M.

A tia A. já nos informou que tem um montão de coisas da prima M. que já não usa e que tu poderás usar.
Quando formos a B. vamos trazer o carro cheio concerteza ;)
Temos mesmo que começar a nossa casinha, qualquer dia não cabemos todos na "nossa" casinha.
Obrigada tia A.